Tags Posts tagged with "Pés"

Pés

0 32

Praticar atividades físicas é necessário não apenas para a saúde do organismo, mas também para melhorar condições emocionais, como diminuir o estresse e melhorar a autoestima. Mas é preciso tomar alguns cuidados antes de colocar o corpo para se mexer. Escolher as roupas e sapatos adequadas para o exercício, por exemplo, é fundamental para evitar lesões e garantir o maior conforto possível.

Também é importante não usar seus tênis de exercícios para praticar as demais atividades do dia. Ao comprar um calçado para se exercitar, tenha em mente que ele deve ser usado exclusivamente com essa finalidade.

Conheça seus pés como a palma da mão

Você pode nunca ter reparado, mas seus pés possuem um formato único. Por isso, às vezes é difícil emprestar o calçado de outra pessoa e se sentir confortável – aquela “forma” não foi feita para você. Conhecer as particularidades dos seus pés torna a escolha de um tênis mais simples, porque você sabe exatamente onde te apertam os calos – e isso não é apenas força de expressão.

É importante entender que os calçados fabricados para a prática física são especialmente desenhados para amortecer impactos e regular o atrito com o piso. Por isso não é recomendado que você utilize seus tênis “de passeio”, ou aqueles do dia a dia, para fazer exercícios: eles não possuem as características necessárias para evitar lesões.

– O que acontece é que, ao longo do dia, seus pés tendem a inchar. Portanto, se você escolher um sapato novo de manhã, é possível que ele se torne apertado até que a jornada acabe. Quando se trata de exercícios, naturalmente, o processo é o mesmo – os pés incham durante a prática – e, por isso, é importante deixar para escolher os tênis no fim da tarde, quando os pés já estão inchados e você não corre o risco de comprar um produto que vá te machucar posteriormente.

Essa história de “amaciar” os sapatos é bastante válida, mas não para os calçados esportivos. É necessário que você se sinta confortável ainda na loja, ao provar os tênis – deixar para amaciá-los depois pode trazer transtornos bastante dolorosos. Se você sentir, na prova, que o par está te machucando, não importa o quanto você tenha gostado do modelo, não compre.

A regra geral é que tênis muito baratos tendem a estragar muito rápido, ao passo que tênis mais caros tendem a suportar melhor as exigências da função que desempenham. Mas é necessário pesquisar antes de fazer a compra, porque nem sempre o tênis mais caro é o que você precisa.

Saiba qual a finalidade para a qual se destina o calçado: corrida, exercícios na academia, dança, caminhada, cada tipo de exercício exige um tipo de acessório. Com essa informação em mãos, pergunte na loja sobre qual modelo é mais adequado para você. Equilibrar o custo-benefício garante que você saia da compra satisfeita e com as finanças a salvo.

0 32

O s homens não costumam se preocupar com os pés, só se lembram deles quando doem ou quando estão mal cheirosos. A principal causa do cheiro desagradável dos pés é a umidade excessiva na região, e pode acometer pessoas de todas as idades e sexos.

Os cuidados com os pés são fundamentais, visto que, eles suportam o peso de todo o corpo e ainda transportam as pessoas para todos os lugares, por isso necessitam de calçados adequados que sejam confortáveis e que permitam a entrada de ar para manter os pés secos.

A sola dos pés possui muitas células sudoríparas, elas que são responsáveis pelo suor e causam muita umidade nessa região. E pode ser o suor um dos responsáveis pela umidade excessiva, assim como o tipo de calçado e a meia utilizada. Por isso é importante usar artigos de qualidade que correspondam as suas necessidades.

O chulé é mais frequente em homens por causa da testosterona, e por que usam mais calçados fechados e meias, para ter uma ideia os homens suam em media meia xícara de suor por dia. E a falta de luz e o ambiente fechado com que os pés se encontram, fazem com que os microorganismos, como fungos e bactérias se desenvolvam com muita facilidade nessa região fazendo com que o chulé apareça.

Para evitar o odor à principal medida é a higiene, os pés devem ser bem limpos com sabonete bactericida, e uma vez por semana é importante usar um creme esfoliante para remover as bactérias e células mortas deixando a pele mais saudável e macia. O creme ideal é o que contem esferas abrasivas e um antiséptico como o óleo de Melaleuca que evita a proliferação de bactérias e fungos.

– É preciso secar muito bem os pés após serem higienizados, para evitar a umidade causadora do chulé, entre os dedos e em todas as dobras;

– Procure calçados adequados que deixem os pés transpirarem, pois sapatos ou tênis de metal ou plástico aumentam a transpiração causando um odor desagradável;

– Use meias de algodão, visto que elas absorvem melhor o suor e deixam o pé respirar;

– Proporcione alivio aos pés andando de chinelos ou descalço o máximo de tempo possível, mesmo que seja a noite ou nos finais de semana;

– Use talcos próprios para os pés, visto que eles possuem substâncias antisépticas e ajudam na eliminação das bactérias;

– Uma boa massagem relaxante nos pés ajuda a aliviar a tensão e melhora a circulação amenizando as dores.

Após todas essas dicas, você já pode começar a cuidar melhor dos seus pés, e tirar os calçados sem preconceito a qualquer hora e em qualquer lugar.

0 27

As pessoas, geralmente, passam muito tempo fora de casa, andando para lá e para cá e, quando voltam ao lar, no final do dia, estão esgotadas de cansaço e isso se reflete, em grande parte, no desconforto dos pés.

Depois de um dia cansativo, os pés ficam doloridos, incômodos e com a circulação comprometida – o que, geralmente, se mostra com o inchaço.

  • A primeira atitude útil para melhorar este desconforto é elevar os pés, durante algum tempo, pois isso contribui com o melhoramento da circulação. O ideal é que você tome, antes, um banho caprichado e, em seguida, entregue-se aos cuidados e ao relaxamento. Você pode se deitar na cama, mesmo, colocando uma almofada embaixo dos calcanhares. Os pés devem ficar mais altos do que o corpo. Permaneça nesta posição, por 20 ou 30 minutos.
  • Outra dica para aliviar a dor nos pés é colocá-los em água quente. A temperatura mais elevada também contribui com a circulação, além de ser útil às dores. O procedimento é simples e pode ser feito com uma simples bacia. Encha-a de água e mergulhes os pés, permanecendo assim por 20 ou 30 minutos. Se possível, acrescente sais especiais, que ajudam a relaxar mais. Bons aliados também são os óleos essenciais, como os de laranjeira, eucalipto, lavanda, etc. O escalda-pés é um hábito muito antigo, que contribui imensamente com o bem estar e a eliminação de dores e inchaço.
  • Fazer massagem os pés é essencial para combater as dores. Isso pode ser feito por outra pessoa ou por você mesmo. Aplique um creme hidratante nos pés ou óleos especiais para massagem. Faça vários movimentos com as mãos, apertando todas as partes dos pés. Mecha, também, nos dedos, puxando-os para cima e para baixo.
  • Também é válido alongar os pés, fazendo movimentos circulares com o calcanhar. Caso queira fazer outra coisa, enquanto massageia, uma boa opção é usar um rolo de madeira (como os de cozinha) ou uma bola pequena. Enquanto assiste Tv ou faz qualquer outra coisa, aproveite para rolar os objetos, usando os pés. Isso também é uma massagem e ajuda a diminuir a dor.

Para finalizar, escolha, sempre, calçados confortáveis. Caso a dor seja muito intensa e constante, o mais indicado é procurar um médico e verificar as possíveis causas.

0 75

A correria do dia-a-dia muitas vezes ocasiona problemas de saúde, alguns deles podem se desenvolver na pele, unhas e até mesmo nos cabelos deixando nossa aparência debilitada e também atrapalhando com o passar do tempo. A doença popularmente conhecida como pés rachados é um exemplo de problema que aos poucos vai ganhando maior gravidade o que também estende o tempo de tratamento.

Você sabia que a maioria das doenças desenvolvidas nos pés podem ser evitadas por nós mesmo com alguns cuidados simples? É fato que todos nascemos com pés saudáveis e com o passar dos anos acabamos induzindo certos males de se instalarem em nossos pés, ao usar um sapato desconfortável, podemos estar negligenciando conforto e maltratando não só os pés como também a coluna cervical.

Se você já percebeu que está com problemas e somente agora resolveu procurar uma solução indicamos que uma consulta a um especialista é a melhor opção. Para quem não sabe o médico responsável pela saúde dos pés é o podólogo, ele pode indicar os melhores tratamentos, sendo eles tópicos ou internos.

Se você conseguir se livrar do problema de pés rachados facilmente vai se sentir muito mais saudável, além de que estará melhorando a aparência dos seus pés, afinal ninguém quer chegar no verão com os pés feios e não poder mostrá-los não é verdade? Vamos aproveitar o inverno para curar os pés rachados com receitas simples como as a seguir:

1ª Receita:

Deixe seus pés imersos em uma bacia com água e óleos essenciais (3 gostas de benjoim e 3 gostas de patchuli) pelo período de 10 a 15 minutos, isso irá devolver a maciez aos seus pés aos poucos.

2ª Receita:

Para também hidratar os pés outra receita bem simples e muito eficaz e que deve ser feita diariamente é o banho de leite, em uma bacia adicione 1 litro de água e ½ litro de leite.

Ambas as receitas podem ser feitar com água quente para que seus pés relaxem também, é muito importante que você também lave seus pés diariamente para evitar que as bactérias, fungos e outros problemas se alojem em seus pés, assim como também evitar o mau cheiro. Mas não pense que para por ai, os cuidados para pés rachados, assim como também para pés saudáveis devem ser os mesmos, conforme alguns que listamos abaixo:

Caminhar descalço em todas as oportunidades que forem possíveis;

Cortas as unhas com frequência;

Passar pedra-pome para remover as células mortas e evitar o acúmulo de pele ressecada;

Usar desodorante para os pés (não importa se aerosol ou em pó);

Não usar meias sintéticas, elas dão mau cheiro e também fazem os pés transpirar mais;

Faça massagens e exercite seus pés sempre que possível.

Assim como você visita o médico uma vez ao ano visitar um podólogo também é interessante para fazer o check up e também ter mais dicas sobre os cuidados com os pés. Esperamos ter auxiliado com essas duas receitas caseiras para cuidados com pés rachado, se você conhece mais alguma deixe seu comentário, adoraremos ter sua dica publicada aqui.

0 51

Os sapatos de camurça são sem sombra de dúvidas magníficos e muito elegantes: capazes de não só deixar o visual mais sofisticado e os pés aquecidos durante o Inverno, eles também proporcionam um toque aveludado à aparência, acompanhado de um luxo inigualável.

No entanto, bem sabemos que todo o tipo de beleza exige sacrifícios – assim também ocorre com este tipo de calçado, que demanda por cuidados especiais.

Primeiros passos

É válido ressaltar que todos os tipos de camurça ou couro nobuck possuem uma grande facilidade para manchas, visto que seu tecido é altamente permeável e de fácil absorção.

Portanto, antes mesmo de efetuar o primeiro uso de seu sapato, é extremamente necessário aplicar um impermeabilizante por toda a sua extensão.

Dependendo da frequência em que os sapatos de camurça são utilizados, a aplicação do produto impermeabilizante deverá ser mais frequente – mesmo assim, evite molhá-los ou usá-los em períodos chuvosos.

Limpeza

A limpeza de um sapato de camurça deve ser feita sempre com uma escova de cerdas duras e de latão, que são capazes de restaurar a maciez e boa aparência de seu calçado.

Para retomar sua cor original ou eliminar alguma mancha causada no tecido, lave apenas a parte afetada com água corrente, usando também sprays específicos e de atuação imediata, que são vendidos em lojas de sapatos para a aplicação. Uma opção barata e de fácil acesso também é o sabão de coco, que possui uma aderência menor à sua estrutura.

Após esfregar suavemente a mancha com o produto, enxague bem e seque a área com um pano de alta absorção.

Dicas importantes

Jamais exponha seus calçado ao sol, nem quando molhados para evitar o ressecamento e desbotamento das fibras.

Caso inevitávelmente o seu sapato de camurça seja molhado, insira em seu interior bolas de papel toalha, para que a umidade seja absorvida o mais rápido possível. Tomando simples medidas, você terá sempre ao seu alcance todo o luxo e elegância que este tipo de calçado pode proporcionar.

0 62

Joanete é a inflamação da articulação do dedão com o pé em função de uma alteração do alinhamento ósseo devido ao trauma excessivo direto e a pressão repetitiva do uso de sapatos com bicos mais finos ou apertados. Esta pressão acaba originando uma bolsa de líquido na região, podendo causar o pinçamento do nervo do dedão, resultando em dor e adormecimento.

O tratamento conservador através da aplicação de gelo, ultra-som e mobilização articular deve ser a primeira alternativa antes de uma cirurgia, tendo como objetivo principal diminuir a dor e a inflamação, além do alinhamento das articulações do seu pé. Não podemos esquecer também de um fortalecimento muscular desta região e muito alongamento.

Uma dica fundamental é comprar um tênis ou um sapato adequado ao seu pé, oferecendo espaço suficiente para os dedos e que obedeça as características biomecânicas do seu pé.

Não existem ainda tênis específicos para o problema, mas você poderia tentar usar “band aids” de silicones importados que poderiam, quem sabe amenizar seu problema.

A Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos indica alternativa para aliviar a dor com facilidade:

– Escolha sapatos confortáveis e que se encaixam perfeitamente nos seus pés

– Use sapatos que tenham sola macia e que nao aperte os dedos

– Não use saltos muito altos

– Não sapatos muito apertados e pontudos

– Proteja o joanete com uma almofadinha acolchoada, produto vendido em casas especializadas

0 59

Sabemos que é normal os pés ficarem inchados durante a gestação, este edema é causado por retenção de líquido, comum neste período.

Até 80% das gestantes saudáveis retêm fluidos corporais na gravidez, entanto muitas coisas mudam no corpo da mulher durante a gestação, variam muito de acordo com cada mulher, algumas dessas mudanças são bem incomodas como os inchaços que aparecem mais para o final da gravidez que normalmente desaparece após períodos de repouso e podem aparecer novamente de forma gradativa durante o dia.

O inchaço pode aumentar quando a gestante estiver acima do peso ou quando está grávida de gêmeos, pois o útero fica mais pesado dificultando a circulação.

Para as mamães que querem amenizar um pouco o inchaço que sentem nesse período, uma dica é reduzir o sal dos alimentos, pois ele é um dos maiores causadores do inchaço. Alimentos com sódio como salame, linguiça, salsicha e temperos prontos, também devem ser reduzidos da dieta, o máximo possível.  Também é recomendável incluir na dieta os legumes e verduras e beber bastante água.

Embora algumas mamães tenham preguiça praticar exercícios físicos ainda é uma ótima forma de reduzir os inchaços, as atividades feitas na água são as mais indicadas, pois exercem pressão no espaço extra vascular, melhorando a circulação.

A drenagem linfática tem sido um aliado importante, quando feita da maneira correta, consegue reduzir o inchaço e auxiliar na circulação sanguínea. Antes de se submeter a massagem certifique-se que o profissional é especializado pois tem áreas que não devem ser massageadas durante a gestação.

Como amenizar o inchaço:

•Elevar as pernas ao se sentar;

•Ao deitar, coloque um travesseiro em baixo da panturrilha;

•Fazer caminhadas e nadar, também auxilia a circulação;

•Deslizar os pés encima de uma bolinha média ou também em uma bacia com água morna, acrescente bolinhas de gude, pode aliviar o inchaço e a proporcionar uma sensação de relaxamento.

•Usar meias elásticas apropriadas contribui bastante.

É importante que o seu médico seja informado e auxilie no controle do inchaço, pois este é um dos sintomas da pré-eclâmpsia. Embora na maioria dos casos dispense preocupações, informe seu médico!

0 30

Aos cuidados  com os pés são praticamente indispensáveis, isso se dá por que durante todo o processo em que estamos de pé é ele quem sustenta todo o nosso peso. Quando chegamos ao final de um longo dia cansativo imaginem como nossos pés não devem estar doloridos, em contrate com isso cuidados básicos e específicos podem dar mais beleza e saúde á seus pés.

Geralmente os descuidos com essa região são iminentes, pois temos o costume de prestar mais atenção a partes do corpo mais visíveis tais como rosto e corpo e nos esquecemos de que os pés também necessitam de cuidados.

Devemos ressaltar que cuidados nunca são demais quando se trata dos pés eles sempre acabam sendo de menos por isso vamos tratá-los!

– Evite andar descalço, pois isso facilita para o calcanhar ficar com aspecto rochoso. Sabendo que nosso corpo tem a função de renovação celular, teremos que remover as células mortas pra que não se acumule formando uma crosta em nossos calcanhares,  então começado pela prevenção fazendo uma boa exfoliação com cremes específicos a base de Ureia entre outros, mantendo nossos pés bem hidratados não devemos esquecer de fazer isso.  Existem algumas doenças de pele que podem causar problemas de rachaduras, algumas graves podendo chegar ate sangrar, sendo assim é essencial manter bem tratado os pés em todas estações do ano.

– O suco de limão é uma ótima dica para que seja realizada tal esfoliação, tendo ele e uma mistura do sal grosso essa deverá ser utilizada no mínimo três vezes por semana. Quando temos o sal e o limão misturados vemos que eles estimulam a renovação celular da pele, as células mortas que se instalam no calcanhar são eliminadas.

– Uma maneira natural de deixar o calcanhar macio é retirar o suco de meia cebola e adicionar areia limpa formando uma massa homogenia, onde esta deverá ser passada varias vezes por semana no calcanhar.

A menta também é uma excelente propriedade para beneficiar o calcanhar deve-se deixa os pés de molho na água de menta (hortelã) e depois lixá-lo.

– Passar um hidratante nos pés e cobri-los com meia térmica ou meia normal é uma atitude benéfica no entanto deve ser realizada apenas duas vezes semanais.

Essas são dicas bem simples, mas que com certeza farão toda a diferença na hora de desfrutar de pés mais limpos, saudáveis e macios, aposte nessas dicas e tire um bom proveito.

1 81

As mulheres têm cerca de 20 vezes maior probabilidade de apresentar joanetes quando comparadas aos homens, pelo uso de sapatos apertados, de salto e bico fino. A joanete é uma protuberância lateral acentuada no dedão do pé, que pelo desvio rotacional se encosta no segundo dedo. Ela produz uma deformidade estética com alteração da função do pisar e andar,  acompanhado de dor e dificuldade e usar calçados. Porém quando é diagnosticado bem no começo é possível prevenir o agravamento trocando os calçados.

Mas, quando a deformidade já é grande e a pessoa já sente dor, o problema só resolve com cirurgia.

Causas

– Joanetes acontecem com mais frequência em mulheres e podem, às vezes, ser passados de geração a geração. Pessoas que nasceram com anormalidade nos ossos do pé estão mais propensas a terem joanetes. O uso de sapatos de bico fino e de salto alto pode causar o desenvolvimento de um joanete. O joanete pode se tornar doloroso uma vez que um osso extra e uma bolsa com líquidos crescem na base do dedão do pé.

Sintomas de Joanete

  • Pele avermelhada e com calosidade na extremidade interna do dedão do pé
  • Um calo ossudo neste lugar
  • Dores nas juntas, agravada pela pressão dos sapatos
  • Dedão do pé virado em direção aos outros dedos

Prevenção

– Evite comprimir os dedos do pé com sapatos apertados.

Atualmente, técnicas cirurgicas minimamente invasivas ou percutâneas dão ótimos resultados para a correção das joanetes, e ao contrário das cirurgias convencionais, não se usa gesso (somente fitas adesivas), enfaixamento simples, calçado adequado e o paciente marcha sobre o pé operado já no momento da alta hospitalar, no mesmo dia da cirurgia.

A cirurgia consiste em fazer pequenas incisões (orifícios) em torno de 3 mm e introduzir fresas (brocas de dentistas) modificadas para correção das deformidades, com anestesia local no tornozelo, que poderá estar associado a uma sedação endovenosa pelo anestesista.

É um procedimento mais seguro, menos doloroso e no pós operatório demanda um tempo maior sem dor, o paciente pode e é aconselhado sair andando, com carga parcial, com o pé operado no mesmo dia da cirurgia.

Não deixe de realizar todas as consultas pós-operatórias. Habitualmente você deve ver seu médico mensalmente até o sexto mês pós-operatório para assegurar uma reabilitação adequada.

Essa técnica cirúrgica pode ser aplicada em outros casos, desde calosidades devidas a problemas ósseos, dedos em garra, esporão de calcâneo (bico de papagaio) entre outras metatarsalgias dores nos metatarsos, ossos na porção da frente do pé.

Tratamentos não-cirúrgicos

A maioria dos joanetes não são suficientemente graves para justificar a necessidade de cirurgia. Porém o primeiro passo para o tratamento é agendar uma consulta com um podólogo.

  • Repouso e gelo. No final de um longo dia, coloque seus pés para cima e aplique um saco de gelo no joanete doloroso para reduzir o inchaço e a inflamação.
  • Almofadas e espaçadores. Você pode comprar almofadas para joanetes que aliviam a dor de qualquer pressão exercida sobre o joanete. Espaçadores também estão disponíveis para incentivar seus dedos a manter a sua posição adequada e evitar grandes dores nos dedos.
  • Próteses e inserções. Próteses e inserções podem corrigir os problemas físicos que causaram o seu joanete em primeiro lugar. O médico irá lhe dizer se a sua mecânica pode ser corrigida por uma inserção simples ou vai exigir receita médica ortopedia.
  • Medicamentos para alívio da dor. Em conjunto com estes tratamentos, o médico pode sugerir que você tome analgésicos para reduzir o desconforto.

O joanete não é o fim do mundo, mas as vezes pode parecer. As opções de tratamento não-invasivas podem reduzir muito a inflamação e os sintomas de seu joanete. Agende uma consulta com um ortopedista para discutir suas opções e dar o melhor curso de tratamento para os seus pés. Vale a pena!

0 56

Segundo a dermatologista Bianca Gastaldi, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, as bolhas são o acúmulo de líquido entre as camadas interna e externa da pele. Sensíveis e doloridas, elas surgem quando há excesso de atrito, causado principalmente pelo uso de calçados inadequados.

Como prevenção, nunca use os sapatos novos por muitas horas consecutivas. Calce-os dentro de casa, durante uns 30 minutos, por vários dias, até que estejam cômodos e macios.

E na hora da compra, opte por modelos confortáveis. Caminhe pela loja para testá-los e fique atenta ao tamanho – tanto os calçados largos quanto os apertados podem causar ferimentos.

Quem pratica esportes, como corrida e escalada, ou faz balé também pode sofrer com as terríveis bolhas, sendo assim antes do treino, aplique vaselina sólida nos pés, para reduzir o atrito e dê preferência às meias de algodão, que absorvem a transpiração, e àquelas com o mínimo de costuras possível, já que irregularidades no tecido podem machucar.

Para ficar livre das bolhas é necessário seguir uma rotina de cuidados: após o banho, enxugue direitinho e aplique um talco específico para a região, que absorve a umidade. E, em casa, sempre que possível, use chinelos. É importante também caprichar na hidratação dos pés!

Mas se você já está sofrendo com esses ferimentos, proteja a área com um curativo e use apenas calçados confortáveis.

– Jamais estoure a bolha.

Caso ela se rompa, lave a área duas vezes ao dia com um sabonete antibacteriano, para evitar infecções. E se não melhorar, procure a orientação de um médico.

Limpe a bolha. Uma vez que a pele tem empolado, você não quer perder tempo. Lavar a área com água morna e sabão e aplicar o creme antibiótico triplo.

– Fique atento aos utensílios do curativo para não prejudicar ainda mais a lesão.

– Utilize calçados apropriado para praticar esporte.

Para evitar que as bolhas apareçam, há palmilhas específicas produzidas com o molde exclusivo de cada um. Isso ajuda na acomodação do pé, evitando atritos desnecessários.

Se a qualquer momento, a bolha piora, incha, torna-se mais quente ao toque ou tem listras vermelhas ao redor da bolha, ele pode estar infectado. Consulte o seu médico, como infecções de pele podem ser graves.

0 130

Todas as pessoas devem aprender a cuidar dos pés, os portadores de Diabetes devem aprender a cuidar com muito mais afinco, pois complicações frequentes podem ser evitadas com prevenção.

O diabetes é uma doença séria que pode causar muitos problemas nos pés, levando até à amputação. Muitos desses problemas podem ser evitados.

A Diabetes facilita o aparecimento de infecções através da Neuropatia Diabética (doença dos nervos periféricos) e de problemas devido à má circulação do sangue.

Como todas as partes do corpo, os pés necessitam de aportes apropriados de sangue e com ele de oxigênio. Se isso não acontece, as infecções, as doenças vasculares e as doenças decorrentes da falta de circulação podem ocorrer.

Sinais que podem significar problemas:

  • Dormência nos pés;
  • Ausência ou não crescimento de pelos nos pés e pernas;
  • Micoses interdigitais;
  • Presença de feridas e secreções;
  • Pele seca, escamosa ou brilhante;
  • Pontas dos pés arroxeadas, cianóticas;
  • Aparecimento de rachaduras nos calcanhares;
  • Perda de sensibilidade;
  • Formigamento ou dor nos pés;
  • Presença de calos em pontos de pressão dos pés;
  • Aparecimento de cãibras em repouso ou ao caminhar.

O perigo dos ferimentos

Com a perda da sensibilidade, muitas vezes, o indivíduo diabético não percebe o que está acontecendo em seus pés. Por isso, não é raro que ele se machuque e não note que seus pés estão feridos.

A situação piora, pois a imunidade desses pacientes é mais baixa. Toda vez que ele se machuca, a cicatrização será mais lenta. Quando se trata do pé, a cicatrização pode demorar muito mais, porque é uma parte do corpo que usamos sempre, não dá para ficar sem usar. Um machucado nesse pé diabético fica vulnerável às infecções, muitas vezes graves. Como a sensibilidade já foi comprometida e o diabético já não sente dor, ele pode passar dias sem notar os ferimentos em seu pé. O tecido fica tão comprometido, muitas vezes chega ao osso, que partes do pé precisarão ser amputadas.

Cuidados

– Examine seus pés todos os dias: preste atenção em mudanças de coloração e temperatura; olhe cada um dos dedos e entre eles; procure por infecções, cortes, bolhas, calos, feridas. Se não conseguir fazer isso sozinho, peça ajuda a um familiar ou amigo, use um espelho para olhar a sola dos pés.

– Para a higienização dos pés, use água morna. Nunca verifique a temperatura da água diretamente com os pés. Faça isso com o cotovelo. Deixe a água cair devagar, passe o sabonete delicadamente e enxágüe. Na hora de secar, não esfregue, enxugue entre os dedos, aplique creme hidratante ou óleo sobre a pele do dorso, nunca entre os dedos, na sola dos pés e em feridas e cortes. Evite talco, pois pode causar ressecamento da pele.

– Aproveite para cortar as unhas após o banho, pois elas estarão amolecidas. Dê preferência a cortadores de unhas ou a tesouras com pontas redondas, pois a possibilidade de se machucar diminui bastante. Corte as unhas retas, nunca corte os cantos das unhas, assim você evita a unha encravada e muitas infecções.

– Consulte um podólogo para tratar os calos e consulte um médico em caso de micose nas unhas e entre os dedos.

Nunca ande descalço! Lembre-se que quem é portador de Diabetes pode apresentar diminuição da sensibilidade dos pés, o que facilita o trauma e o aparecimento de feridas e infecções indesejadas.

– Na hora de escolher o calçado, vá sempre na parte da tarde, que é quando o pé está do tamanho certo e não vai ficar apertado depois. O uso do calçado de tamanho adequado, evita calos, bolhas, joanetes, feridas e infecções. Procure sapatos macios, sem costuras, sem bico fino ou com salto muito alto; evite sandálias que tenham tiras ou fivelas.

– Em relação às meias, prefira aquelas que deixam a pele dos pés respirarem. Troque as meias quando sentir que estão molhadas de suor. Prefira aquelas de algodão e que não tenham costuras. Evite as meias apertadas e as meias de nylon, e nunca use a mesma meia por dias seguidos, pois o uso por um dia da mesma já é o suficiente.

– Caminhar é a vocação dos pés e seu melhor exercício! Procure caminhar com um calçado adequado e confortável e em superfície plana. Evite caminhar se apresentar feridas ou dor e procure o seu médico nesse caso.

– Se for viajar, evite ficar sentado por muito tempo. Levante-se, ande um pouco. Se isso não for possível, estique os pés, movimente-os para cima, para baixo e para os lados, mova os dedos, faça círculos com os pés. Hidrate-se adequadamente durante as viagens, isso evita desidratação e embolias.

Lembre-se também que tudo isso funcionará muito melhor se estiver acompanhado de um bom controle glicêmico! O cuidado com os pés começa com o uso adequado da medicação e com o cumprimento da dieta alimentar adequada a cada pessoa.

0 72

As rachaduras nos pés aparecem principalmente por conta da exposição frequente no ar seco, ventos, poluição e sujeiras.

No tempo seco os pés necessitam de cuidados especiais pelo fato de ficarem expostos diariamente às mais diversas condições. Rica em queratina, a pele dos pés é mais espessa e resistente, o que faz com que as células se renovem constantemente para se proteger de inúmeras agressões. Muitas vezes, essa renovação acaba formando calosidades ou gerando acúmulo de células mortas, principal causa das rachaduras que incomodam tantas mulheres.

Essas rachaduras nos pés, ou fissuras como são chamadas pelos dermatologistas, afetam somente a epiderme, ou seja, a primeira camada de pele, que é bem áspera. Entretanto, em alguns casos o ressecamento é extremo e pode atingir a derme, causando dor e sangramento. Aprenda a como cuidar as rachaduras nos pés:

Como cuidar

As rachaduras normalmente são um sinal de falta de hidratação, por isso, para tratá-las é essencial uma hidratação diária com produtos cosméticos ricos em ureia e silicone. Se sua pele formar muitas fissuras, o ideal é evitar usar chinelos e sapatos abertos, evitando assim a exposição dos pés e o ressecamento da pele.

É muito importante evitar o banho quente que retira o sebo protetor de sua pele, usar sabonetes com glicerina para lavar os pés e realizar a esfoliação nos pés úmidos para eliminar o acúmulo de células mortas e o mal cheiro, após a esfoliação aplique creme de hidratação específicos para os pés.

Você pode deixar os pés de molho durante 10 minutos em água morna e acrescentar algumas gotas de óleos essenciais para manter a pele hidratada, retire os pés e passe a toalha eliminando a água, depois aplique óleo de amêndoas ou creme hidratante. A hidratação dos pés deve ser realizada com cremes á base de ureia, tratamento com parafina e processos de relaxamento com ervas aromáticas, saiba que a parafina clareia, regenera e hidrata a pele dos pés, a parafina deve ser aquecida e aplicada na pele como uma máscara até que esfrie, depois hidrate os pés.

Você pode relaxar os pés com ervas aromáticas, coloque algumas folhas de hortelã, alecrim ou de manjericão no escalda pés e deixe seus pés descansando, faça massagens para ativar a circulação e promover o relaxamento, alguns produtos ajudam no relaxamento como: cânfora, eucalipto e óleos essenciais, os produtos para cuidar dos seus pés podem ser encontrados nas farmácias de manipulação e lojas de produtos cosméticos.

Para as rachaduras mais extremas, não dispense à consulta a um dermatologista.

Como evitar

Lavar bem os pés e secá-los corretamente após o banho é a dica para evitar que o problema se agrave ou que se formem frieiras ou micoses, outros fantasminhas que comumente afetam a região. Durante o banho,  lixe os pés suavemente uma vez por semana. Lixe vem pouco, só para retirar as células mortas e ao sair passe o creme hidratante indicado para os pés.

Outra sugestão simples e bem eficaz é aplicar a loção hidratante e envolver os pés em um plástico filme por cerca de 10 minutos. O filme ajuda a potencializar o resultado do creme e vai deixar os seus pés lisinhos e bem macios.

Mas, fique atenta! Obesidade,  hipertensão arterial, problemas vasculares e diabetes também podem causar rachaduras, portanto, se o problema persistir, consulte um dermatologista para diagnosticar o problema.

Uma dica especial é hidratar os pés antes de dormir e colocar papel celofane nos pés ou deixar eles dentro de sacos plásticos para potencializar o efeito do creme de hidratação, quando acordar lave os pés com água morna e perceba a maciez da pele, pequenos cuidados diários evitam o ressecamento da pele e as rachaduras.

0 35

Olho de peixe é como é conhecida popularnente são as verrugas plantares , que aparecem na sola dos pés -, que recebem este nome devido ao seu aspecto.

A sua aparênca é de um ponto escuro central rodeado por um espessamento. O problema é provocado por um vírus  do tipo HPV (não sexualmente transmissível) e está associado ao excesso de umidade. Além de ser esteticamente prejudicial, causa fortes dores.

Como cuidar e evitar o aparecimento do olho de peixe:

Para se prevenir contra o aparecimento ou reaparecimento de olho de peixe no pé, você deverá adotar uma alimentação saudável. Beba muitos líquidos e tenha uma alimentação diversificada, rica em legumes, frutas e peixe. Ao cuidar da alimentação, você está fortalecendo seu sistema imunológico, permitindo que ele combata as infecções.

1. Evite locais úmidos freqüentados por muitas pessoas , e usar banheiros de academias, clubes, parques ,utilize sempre um chinelo de borracha caso necessite tomar banho em banheiros públicos.

2. Não pise  sem chinelo em locais com água parada.

3. Quando for a pedicure , cetifique-se de que todo o material esta devidamente esterilizados.

4. Evite usar sapatos sem meias. Não use o mesmo par dois dias seguidos.

5. Evite usar calçados de outras pessoas.

Não coce a verruga. Lembre-se que os locais com doença podem infetar os locais saudáveis da pele. Se tocar na lesão, lave sempre as mãos.

Coloque, em seus sapatos, palmilhas de silicone. Estas palmilhas irão ajudar o seu corpo a distribuir melhor o seu peso pelos pés, diminuindo a pressão a que a plantas dos pés estão sujeitas. Esta ação irá favorecer o tratamento das verrugas.

Tratamento para acabar com olho de peixe:

Existem tratamentos clínicos e tratamentos cirúrgicos.O tratamento para remover o olho de peixe  pode ser realizado com remédios farmacêuticos ou até algumas receitas  caseiras. Porém alguns médicos indicam a remoção cirúrgica. Isso por que como é uma enfermidade profunda, os medicamentos podem não  alcançar a raiz do problema, sendo assim a cura pode se apenas superficial com remédios.

Dica: evitar freqüentar piscinas ou qualquer tipo de banho público durante a fase de tratamento e também como prevenção.

Caso o diagnostico seja recente e o tratamento seja de imediato pode-se curar usando apenas alguns medicamentos específicos . Já nas crianças a maioria dos olhos de peixe vai embora sozinho.

Mas se já estiver com o pontinho preto aparecendo e a dor for constante e intensa isso é sinal que já esta em estágio avançado então o ideal é procurar um médico dermatologista urgente . Existem vários  tratamentos entre eles o uso de Nitrogênio Líquido fumengante,cauterização a frio, também chamada criocirurgia, entre outros.

Você pode também procurar um podólogo habilitado para tratamentos semanais, procedimentos simples a custo mais baixo.

0 26

Se por um lado o salto alto é adorado e reverenciado pelas mulheres, por outro lado ele é considerado pelos médicos e fisioterapeutas como um vilão para os joelhos. Segundo o fisioterapeuta da Clínica de Reabilitação Corpo em Terapia, os principais sintomas da má escolha e do uso excessivo do salto alto são as dores, torções, fraturas e males de menor escala, como as calosidades e deformidades nos dedos.

As mulheres já têm uma tendência natural a ter joelhos voltados para dentro, em forma de “x”, o que contribui para a inclinação da patela, um pequeno osso em forma de pirâmide que se articula com o fêmur e protege a articulação do joelho. “O uso de saltos altos favorece o desgaste da patela”, afirma o fisioterapeuta.

Além da pressão na ponta do pé, o uso do salto alto e fino causa ausência na mobilidade da parte de trás da perna. “Com o calcanhar nas alturas, o tendão de Aquiles fica encurtado, o que pode ocasionar a tendinite. Os sintomas básicos são a dor e a dificuldade em andar descalço”, detalha Allan Delano. Os problemas do salto alto não param nos pés. Eles podem comprometer até os joelhos, que, por causa do salto, são flexionados o tempo todo.

Uso em excesso pode causar varizes

Uma pesquisa realizada (HCFMRP), mostrou que o uso em excesso do salto alto pode causar problemas venosos nas pernas como varizes, flebite (inflamação na veia, onde o corre a diminuição do sistema venoso – principais veias do corpo humano – dos membros inferiores) e até trombose.

A pesquisa realizada em mulheres de 20 a 35 anos comprovou que o uso do salto alto limita a articulação das pernas, o que leva a diminuição do curso de bombeamento de sangue na panturrilha. Para poder entender, o sangue chega às pernas por artérias e veias, onde corre em uma direção de ida e uma de volta. A inclinação que o salto proporciona nas pernas e pés impede o trabalho das veias e artérias de circularem e bombearem o sangue na região, aumentando o fluxo de sangue em uma veia e ocasionando os problemas venosos.

O peso também influencia. Pois se a pessoa está descalça, o peso do corpo é distribuído por toda essa estrutura, mas se calça sapatos com saltos, coloca quase todo o peso no antepé, que é a parte da frente do pé e dos dedos. Quanto mais alto o salto, maior o peso na região. Na medida que a pessoa caminha se aumenta ainda mais a pressão e ao correr na ponta dos pés então, esta força se multiplica várias vezes. O resultado é uma pressão imensa na região.

Tipos de saltos indicados

O fisioterapeuta adverte que os saltos altos e finos são os que causam mais problemas porque com estes saltos, a mulher tende a andar com os joelhos flexionados e sempre se equilibrando. A melhor maneira de prevenir danos aos joelhos é troca por calçados do tipo Anabela, que são mais baixos e confortáveis, apresentando uma altura de 4 cm. O resultado estético pode não ser o mesmo, mas, em termos de saúde e bem-estar, essa troca vai seguramente valer a pena! Outra ótima opção para quem não abre mão do salto alto é o uso das plataformas, que são altas, mas em compensação são uniformes e por isso distribuem melhor o peso do corpo.

Dicas para quem usa salto alto

  • Quem não pode ficar sem usar sapatos de salto, deve optar pelos modelos com saltos mais largos, que distribuem melhor o peso e estabilizam o tornozelo. Bico quadrado também é o mais recomendado para evitar deformidades dos dedos;
  • Os sapatos plataforma, com a mesma altura do calcanhar à ponta, não pressionam excessivamente o antepé. Mas em compensação, a chance de torcer o tornozelo é maior;
  • Se puder, deixe a sandália e opte pelo sapato. Assim, o calcanhar estará mais seguro. O reforço lateral proporcionado pelas botas é ainda mais eficiente;
  • Evite saltos muito altos no dia a dia. Quanto menor o salto, melhor para a saúde.
  • Evite se desgastar utilizando o salto alto todos os dias, opte também por alternar entre as sapatilhas que apesar de baixinhas são muito elegantes.

0 55

O chulé é um problema freqüente na vida de muitas pessoas, principalmente nos adolescentes, os quais estão em constante desenvolvimento e o corpo às vezes não consegue acostumar-se com essa mudança.

A maioria dos casos é causada pela hiperidrose (suor excessivo), e também pela má higienização na região, tornando propicia a proliferação de fungos e bactérias. Algumas doenças podem estar relacionadas com o problema, como obesidade, diabetes e hipertireoidismo, por isso a importância de consultar um dermatologista o quanto antes.

O cheiro é resultado da ação das bactérias e fungos. Jovens do sexo masculino sofrem bastante com o problema, mas ele também pode ocorrer em crianças.

O uso de determinadas meias pode agradar o problema, ainda mais quando as mesmas não são trocadas diariamente. Meias feitas com material sintético, como náilon e poliéster fazem o pé transpirar mais, dê preferência às de algodão. Depois de usar seus sapatos, coloque-os ao sol para que o calor do mesmo seque o suor e diminua as bactérias e fungos. Sendo indicado também que você não utilize o mesmo calçado em dias seguidos.

No mercado existem alguns talcos e sprays para serem usados nos pés depois do banho, eles ajudam a minimizar o suor e as bactérias que trazem o mal cheio nos pés. Mas atenção, os talcos comuns não ajudam a diminuir o problema, pois eles não contêm substâncias anti-sépticas.

Uma medida rápida e imediata pode ser o uso do “Leite de Rosas” ou do “Leite de Colônia” após lavar os pés e antes de colocar o seu calçado.

Algumas orientações podem ser úteis para evitar o problema, tais como:

– utilize calçados e meias limpas;
– evite usar calçados fechados no verão, eles aumentam a temperatura e a transpiração;
– após o banho, seque bem os pés e entre os dedos (evitando assim a frieira);
– exponha os calçados ao sol;
– não ande descalço em pisos úmidos (sauna, lava-pés, banheiro coletivo);
– não use os mesmos calçados todos os dias.

MATERIAS DIVERSAS

0 32
Ser pai de primeira viagem é algo muito especial. É importante acompanhar a mãe durante toda a gestação e nascimento do bebê. Porém, muitos futuros...

EMAGRECER