Ginástica para o cérebro

Palavra cruzada, quebra-cabeça, sudoku e labirintos. Para muitos, estas atividades são bons passatempos para divertir e que ajudam a ocupar o tempo ocioso. Mas, na realidade, funcionam como uma ginástica que mantém o cérebro ativo e o estimulam. “Manter o cérebro ativo é fundamental para evitar as perdas de neurônios e conexões interneurais, que começam a ficar mais evidentes a partir dos 45 anos. Durante a vida produtiva, a pessoa que estimula o cérebro faz uma espécie de ‘poupança’ de neurônios e redes neuronais para enfrentar o declínio cognitivo nas idades mais avançadas

“O cérebro é como os músculos, ele atrofia se não for usado”. Os exercícios estimulam este órgão com novidade, variedade, graus de dificuldade crescente e liberam neurotrofinas, que são como nutrientes para o cérebro.

Além disso, a ginástica tira o cérebro da zona de conforto:

O cérebro tem uma capacidade imensa, mas é preguiçoso. Ele funciona no ‘piloto automático’, sem quebra de rotina. E o maior veneno para o cérebro é a rotina. Por exemplo, se você faz todo dia o mesmo caminho para chegar ao seu trabalho, você nem percebe mais quantos semáforos parou e não repara nas pessoas que passam, pois não tem estímulo nenhum para o cérebro. Este tipo de atitude deixa o órgão estagnado, portanto procure viajar, namorar, passear, entre outras atividades que quebrem a sua rotina.

A rotina e o tédio são os principais inimigos do cérebro e da alma:

Se não há aprendizado, o cérebro não se exercita e acaba ficando parado no tempo, então é preciso ficar atualizado o tempo todo. Um estudo feito recentemente avaliou grupos de pessoas mais idosas que aprenderam música, novos idiomas, foram estimulados a aumentar a capacidade de leitura e, por último, um grupo especial foi treinado na técnica de argumentação e retórica.

Todos os grupos tiveram aumento de suas capacidades cognitivas, mas aquele grupo da argumentação se sobressaiu em relação aos outros. Além da melhora cognitiva, houve aumento também do QI. Isto significa dizer que, se você for um bom questionador, mantendo sempre a curiosidade pelas coisas, estará estimulando sua memória em um nível mais elevado. Ser um eterno aprendiz é um bom estímulo para manter nosso cérebro sempre saudável.

Comments

comments