Gatos

0 88

Quando os bichanos ficam velhinhos, mesmo tendo levado uma vida saudável, são inevitavelmente acometidos por problemas comuns à idade avançada. Nesta fase, os cuidados aumentam e alguns detalhes, como a alimentação, devem ser observados com maior atenção.

É importante levar em consideração que, para um gato, um ano equivale a 7, em média. Ou seja, se seu felino está com 7 anos, significa que, na realidade, o organismo dele tem 49 ou 50 anos de idade. Então, quando ele estiver com 8 anos, é bom começar a ter mais atenção. Os cuidados com os gatos idosos não são complicados. Os gastos serão um pouquinho mais altos, mas não absurdos, ao ponto de os donos não conseguirem mantê-los. Muitos detalhes, praticamente, continuam os mesmos (como a vacinação, por exemplo).

vacinação dos gatos deve continuar sendo feita, anualmente. Com a velhice, os riscos para o gatinho aumentam e eles podem contrair doenças, mais facilmente. Da mesma forma, o ataque de parasitas continua sendo possível e mais propenso. Os remédios contra vermes devem ser tomados, a cada quatro meses. Já os medicamentos contra pulgas a carrapatos devem ser injetados, a cada seis meses.

higiene oral do gato idoso é muito importante. Quando chegam a esta idade, os gatos passam a sofrer, com o aparecimento de tártaro e placa bacteriana. Isso, se não for cuidado, causa mau hálito e pode evoluir para uma doença periodontal. Os sintomas são dentes amarelados, gengivas inflamadas e cheiro desagradável. É imprescindível que se façam limpezas regulares, com o uso de pastas dentais para gatos e, também rações especiais.

Além destes cuidados, é importante levar o bichano ao veterinário, regularmente. Os exames de sangue e fezes devem ser anuais. Desta forma, qualquer alteração que indique o início de uma doença permitirá que os donos façam tratamentos adequados.

Os gatos velhos devem ser alimentados com rações especiais. Deve-se, também, levar em consideração que a mastigação já não pode contar com dentes fortes e saudáveis. Ao consultar o veterinário, este irá indicar quais tipos de ração são as melhores, para o gatinho idoso.

ração para gato idoso deve conter alta concentração de substâncias energéticas e deve ser de digestão mais fácil. Algumas substâncias, como as vitaminas C e E ajudam a combater os radicais livres e aumentar a imunidade do bichano. Já os ômegas 3 e 6 ajudam a manter a pelagem bonita e flexível. Também é importante observar a acidez da ração para gatos idosos. O Ph de seu alimento deve ser neutro, a fim de evitar cálculos e outras doenças renais.

Quanto ao funcionamento dos intestinos do gatinho, a ração deve conter um alto teor de fibras, facilitando a evacuação, pois o gato idoso não se exercita, como antes – o que favorece a diminuição do trânsito intestinal.

É importante lembrar que, em qualquer idade, os gatos e outros animais devem ser examinados, periodicamente. Isso previne doenças e permite um tratamento adequado e precoce, caso o animal esteja apresentando os primeiros sintomas de algum mal.

0 66

Nos gatos a obesidade pode resultar em outras doenças bastante perigosas, como o Diabetes mellitus, que é um aumento de açúcar no sangue, causado principalmente pelas guloseimas em excesso e a falta de atividades pelos animais sedentários. Quando um gato está com sobrepeso ou é obeso pode haver retenção de líquido ou infecções, além disso também podem surgir problemas urinários. Com o aumento no peso os felinos tornam-se preguiçosos e evitam qualquer gasto de energia, pois se cansam mais rapidamente.

Dentre as consequências  da doença está a dificuldade do animal realizar sua própria higiene, pois a elasticidade do seu corpo fica diminuída e seu grande peso cansa qualquer tipo de investida do felino. Além disso, essa não realização da higiene pode acarretar em problemas de pele.

  •  Assim como os seres humanos, os bichanos  também podem ter problemas cardiovasculares e aumento da pressão sanguínea quando estão muito acima do peso esperado. Além desses problemas, podem surgir outros como problemas nas articulações, excesso de gordura no fígado, complicações respiratórias, dificuldade na reprodução e um sistema imunológico preguiçoso. Esses problemas irão diminuir consideravelmente o tempo de vida do animal, por exemplo, um gato obeso tem a expectativa de vida diminuída para oito anos ao invés de quinze.

Porém, a obesidade também pode ser causada por fatores hormonais e não somente pelo excesso de comida e pouco exercício. Para diagnosticar o verdadeiro motivo do ganho de peso é preciso consultar um veterinário que prescreverá uma dieta para o seu bichano. A quantidade de alimento desta dieta pode variar de acordo com o grau de atividade física, idade e castração do gato.

Para evitar a obesidade nos gatos é importante saber identificar o perfil de cada animal. Aqueles que são mais ativos e gastam bastante energia precisam de mais alimento. Enquanto que os mais idosos precisam de menos comida, pois como não gastam tanta energia tornam-se mais sedentários e a quantidade de ração precisa ser diminuída. Os machos e fêmeas após castração devem ingerir menos ração, pois se tornam mais calmos e diminuem suas atividades físicas. Lembre-se que a presença de água é essencial para o animal obter uma dieta saudável.

Uma dica importante á o corte de guloseimas, pois são encontrados na ração todos os nutrientes importantes para deixar o felino saudável e feliz. Outra dica  é evitar que a comida fique sempre à disposição do animal, dê em horários fixos e sempre na mesma quantidade.

Como os gatos são animais curiosos, aproveite essa vantagem para estimulá-los a se exercitar. Aproveite para brincar com ele e se exercitar também.

0 68

Os sintomas de um gato estressado começam a partir de sua mudança de comportamento. Isto é, o bichano começa a deixar de fazer a sua higiene pessoal, muitas vezes fazendo suas necessidades fora de sua bandeja, se isolando ou miando muito, adquire pupilas dilatadas e pode chegar a perder muitos pelos.

Em alguns casos é comum que o estresse felino se manifeste com vômitos, diarreia, anorexia acompanhada com a falta de apetite, tremores e salivação. Muitas podem ser as causas desta doença, como a mudança de casa, a chegada de um bebê ou de outro animalzinho de estimação, alterações da rotina do dono e uma infinidade de outras.

Para lidar com gatos estressados o primordial é conhecer as causas do comportamento. Em primeiro lugar, mantenha sua casa sempre limpa e dê muita atenção ao animalzinho, primando pela sua alimentação, bom descanso e higiene. Outra dica interessante é mantê-lo próximo de você, dentro de casa, e se possível, deixando a porta de seu quarto aberta na hora de dormir para que ele possa sempre ficar por perto.

Caso o estresse do gato não tenha cessado, é muito importante recorrer a um veterinário o mais rápido possível, uma vez que essas mudanças de comportamento no felino podem indicar a presença de alguma outra doença.

0 114

Esta raça demanda por cuidados especiais, visto que são mais delicados e propensos á certas doenças. Os gatos siameses são considerados uma raça muito antiga e os mais importantes animais quando o assunto é pedrigree. Eles são originários da Tailândia e antigamente eram dados de presentes aos reis e rainhas como símbolo de poder e glória, uma vez que eles possuem um comportamento refinado e diferenciado.

Sua alimentação também deve ser balanceada e especial, de modo que além de uma ração de extrema qualidade, você também terá de complementá-la com peixes e frutas. Consulte seu veterinário para a prescrição de uma dieta adequada de acordo com o peso e idade de seu gatinho.

As doenças mais comuns em gatos siameses são gengivite, problemas hepáticos e cardíacos. É claro que outras podem ser desenvolvidas caso você não tome os devidos cuidados com a higiene do seu pet, tais como problemas de pele, alergias, eczemas, vermes, entre muitos outros.

– Por isso, limpe diariamente a bandeja onde seu amiguinho faz as necessidades. Não é necessário trocar toda a areia, mas apenas retirar, com o auxílio de uma luva, os excrementos, uma vez que mesmo enterrados, estão à disposição das bactérias – sem contar o cheiro que fica muito desagradável no ambiente.

– Lave a bandeja uma vez por semana para evitar que problemas assolem o seu gatinho. Caso note alguma falta de apetite ou até mesmo o caso do animal comer em excesso, consulte imediatamente um veterinário.

Procedendo desta forma e seguindo essas dicas para cuidar de um gato siamês, você evitará o advento de quaisquer problemas e poderá usufruir da companhia deste adorável amiguinho por mais tempo.

0 105

A maioria dos cães, especialmente os mais jovens, preferem brincar com outros animais do que atacá-los. Embora alguns considerem cães e gatos como inimigos naturais, há muitos casos onde eles se tornam grandes amigos. Permitir a esses animais estabelecer limites seguros, limitar o acesso entre eles e trabalhar em etapas para controlar a agressão do seu cão são as chaves para impedir um cão de atacar um gato.

Apresente o cão para o gato bem cedo — quando ainda são filhotes, se possível. Dê aos animas a oportunidade de se conhecerem na sua presença, independente da idade do cachorro. Permita ao gato gradualmente ficar à vontade perto do cão, o que o tornará menos propenso a atacar.

  • Faça seu cão ser castrado ou esterilizado para reduzir o comportamento agressivo — em relação aos gatos e também a outros cães.
  • Passeie com seu cão com frequência e brinque o máximo possível — longe do gato — para manter os níveis de energia do cão mais baixos quando ele interagir com o gato mais tarde.

Fique no ambiente quando os animais estiverem juntos. Separe os animais com esguichos ou copos cheios de água, caso o cão mostre sinais de agressão e sua voz de comando for ignorada. Sinais de agressão incluem mostrar os dentes, rosnar e assumir uma postura rígida.

Leve o cão para um treinamento de obediência realizado por um treinador profissional. Estabeleça uma série de comandos a serem seguidos pelo cão, assim, mesmo que haja um ataque iminente, você estará preparado para impedi-lo com as vozes de comando praticadas.

Mantenha áreas separadas em sua casa para cada animal, se possível. Mantenha-os separados sempre que você não estiver por perto para monitorá-los. Deixe roupas velhas de um animal com o outro em áreas separadas, assim eles se acostumam com o cheiro um do outro.

Nunca tente separar fisicamente uma briga entre seu cão e seu gato, pois você pode ser acidentalmente arranhado ou mordido. Use água como impedimento!

0 73

Os gatinhos de estimação também necessitam de uma boa higiene bucal para sua saúde. Não higienizar a boca do felino pode fazer muito mal a saúde do mesmo, causando diversas doenças, como a periodontite.

Ao contrário do que muita gente pensa, esses animais precisam de uma boa escovação nos dentes, para que fiquem sempre limpinhos e livres de doenças, pois a falta de higienização pode levar a perda ou enfraquecimento dos dentes.

Estima-se que cerca de 70% desses bichinhos apresentem a periodontite até os dois anos de idade. O problema causa muita dor e pode levar a complicações mais graves como a perda de dentes, infecções e doenças em outras partes do corpo, como fígado e pulmão.

Sinais da falta de higiene bucal

  • Dificuldade de se alimentar e mastigar;
  • Mau hálito nos gatos;
  • Sangramento gengival;
  • Queda dos dentes de forma inesperada;

Dentre os cuidados com os dentes do seu gatinho, existem alguns que são essenciais e obrigatórios para garantir a saúde bucal:

  • Escovar os dentes com frequência (de preferência todos os dias, ao menos 1 vez);
  • Adotar uma alimentação especial que ajude na proteção e limpeza dos dentes do gato;
  • Levar o gato ao veterinário, pelo menos a cada 6 meses para realização de exames e limpeza dos dentes.

A saúde bucal dos gatos é muito importante para o bem estar físico dos mesmos. Portanto, escove os dentes do gatinho com frequência, dê a ele somente alimentos de qualidade e leve sempre ao veterinário para uma consulta mais detalhada, pois são bichos de estimação e merecem cuidados especiais para assim também não trazer doenças para o lar.

1 110

Em primeiro lugar, a pergunta a ser respondida é sobre como saber se a gata ou a cadela estão grávidas. Se você colocou a sua fêmea para cruzar no período do cio as chances de gravidez são bastante altas. Mas pode ser que as fêmeas não castradas também engravidem em alguma fuga, principalmente as gatas. Se depois de um cruzamento ou depois de uma fuga a sua gata ou cadela aparecerem com a barriguinha um pouco maior e com as tetinhas inchadas, as chances de estarem prenhas são enormes! Os veterinários descobrem se as fêmeas estão prenhas apalpando a sua barriga. Eles conseguem sentir como se fossem bolinhas e assim confirmam a gravidez. Para ter total certeza da gravidez da sua fêmea, consulte um veterinário. Ele lhe dará 100% de certeza.

Caso a resposta seja positiva, prepare-se para cuidar de sua gata ou cadela de um modo especial. A alimentação deverá ser diferente da usual, pois além de se nutrir, a fêmea deverá nutrir a ninhada para que essa nasça forte e saudável. O tempo necessário de mudança e reforço da alimentação deverá ser após o cruzamento (ou logo após a descoberta da gravidez) e se manter ainda por 15 dias após o desmame (que acontece em média 2 meses após o parto).

Quando for cruzar a fêmea, esta não deve estar gorda, e durante a gestação a gordura deve ser evitada ao máximo. O excesso de gordura pode causar complicações no parto, principalmente na necessidade de cesariana.

Os nutrientes necessários para uma boa gestação são, sobretudo, o cálcio (para o leite), as proteínas e os sais minerais. Existem rações especiais para gatas e cadelas gestantes, com todos os nutrientes necessários incluídos. São rações mais caras, mas, no entanto, obrigatórias! Em alguns casos será necessário suplementação, principalmente quando a fêmea estiver amamentando. A falta de cálcio pode provocar eclâmpsia e a morte da fêmea, assim como deficiências nos filhotes.

Você perceberá que a fêmea elegerá um lugar específico da casa para ficar quieta e repousando. Muito provavelmente esta é a escolha do ninho, do lugar que ela irá dar a luz. Se o lugar for adequado, deixe-o mais confortável possível, com panos macios e aconchegantes. Se for um lugar perigoso e alto, como dentro de armários, em cima de um móvel, trate de não deixar e condicione-a a outro lugar mais adequado. Do contrário, é perigoso para os filhotes nascerem nestes locais, pois podem cair e sofrer grandes danos.

O tempo de gestação é em média 60 dias para as cadelas, e 65 para as gatas. Quando for o momento de dar a luz você perceberá a fêmea agitada e inquieta. Ela provavelmente irá para o ninho eleito e começará o trabalho de parto. Acompanhe-a como observadora, fazendo companhia. Ela sentirá as dores das contrações, irá gemer até que saia o primeiro filhotinho. O intervalo entre um filhote e outro pode ser longo, é necessário paciência. Não manuseie os filhotes, deixe que a fêmea lamba e retire a placenta de cada um.

Logo estarão todos limpos e mamando na recém-mamãe! Se o trabalho de parto demorar muito, e você notar que a fêmea está sofrendo mais que o normal, não hesite em ligar para um veterinário e seguir suas instruções.

Após o nascimento dos filhotes, interfira o mínimo possível na relação entre eles. Manusear demais os filhotes pode retirar o seu cheiro natural e fazer com que a mãe deixe de reconhecê-lo! A amamentação deve ser realizada por no mínimo 2 meses.

Não desmame todos os filhotes de uma vez para a mamãe não sentir o choque repentino da separação.

0 97

Cuidar do pelo de seu gato é muito importante para seu bem-estar e saúde. Como escovar o pêlo do gato? Com que frequência devem ser realizadas as escovações? Quais os truques para ter um pêlo bonito?

Escovar o pêlo dos gatos é um cuidado essencial, pois além deixar o animal mais bonito, reduz a chance de o gato pegar certas doenças.

Como escovar o pêlo do gato corretamente?

Realize uma escovação gentil do pêlo utilizando uma escova própria para gatos. O sentido da escovação deve ser da cabeça para a cauda.

Existem diversas marcas e tipos de escovas para gatos. Sendo que algumas são próprias para determinado tipo de pêlo.

Não escove demais o seu gato. Não precisa exagerar, se seu gato for de pêlo longo, uma vez ao dia já basta!

Fique atento a doenças de pele no gato. Fique de olho no surgimento de lesões, manchas e irritações na pele dele.

Como lidar com nós no pêlo do gato?

Fios embaraçados na pelagem do gato podem ser uma dor de cabeça. A melhor maneira de lidar com este problema é ter paciência e ficar escovando o pêlo dos eu gato até que o embaraço saia.

Não tente desembaraçar o pêlo do gato cortando o local do nó. Isso poderia machucar o animal. Segure a parte com o nó pela base para que na hora que você for escovar você não machuque o gato puxando seus pêlos.

Escove gentilmente, e tenha paciência, pois isso pode dar certo trabalho.

Frequência da escovação do pêlo do gato

Dependendo da raça de seu gato você terá de dedicar mais ou menos tempo cuidando de seu pêlo. Cada tamanho de pêlo recebe um tratamento diferente, veja abaixo:

  • Gato com pêlo curto:

Gatos de pêlo curto não necessitam de muito cuidado com o pêlo, pois por serem gatos eles já “tomam banho” sozinhos ao realizar a higiene pessoal, quando se lambem. Você pode lhes dar um banho uma vez por mês se quiser ter certeza de que estão realmente limpos.

Exemplos de gato de pêlo curto são: o gato Siamês, Cornish Rex e o burmês, dentre outros.

  • Pêlo curto e denso:

Estes gatos demandam um banho seguido de escovação uma vez por mês.

Exemplos de gatos com pêlo curto e denso são: British Shorthair, American Shorthair, Scotish, dentre outros.

  • Gatos com pêlo semi-longo:

Demandam uma escovação a cada duas semanas pêlo menos. Recomenda-se um banho a cada três ou duas semanas.

Exemplos de gatos com pêlo semi-longo: Maine coon dentre outros.

  • Gatos de pêlo longo:

É recomendado fazer uma escovação dia sim dia não e um banho semanal ou a cada duas semanas.

Exemplo, de raça de gato com pêlo longo: o Persa.

Segredos para manter a pelagem do gato bonita

Os principais fatores que influenciam na beleza do pêlo do gato são:

  • Alimentação adequada
  • Escova de adequada e de qualidade
  • Xampus e condicionadores adequados
  • Saúde geral do gato

Como escovar o pêlo de gatos agressivos?

Esse problema geralmente surge pois para o gato não existe uma associação positiva entre a escova e a escovação e momentos agradáveis, isto é, ele não consegue enxergar a escovação com algo agradável. Isso acaba gerando agressividade no gato, já que ele não quer ser escovado, fazendo com que o gato arranhe tudo o que vê pela frente. Para resolver esse problema precisamos estabelecer uma relação entre um momento agradável e a escova. Agora, digamos que o seu gato adore brincar, de forma que brincadeiras proporcionam momentos agradáveis para ele. Logo, o seu objetivo é transformar o momento da escovação em um momento de brincadeira, de diversão prazerosa. Logo, todas as vezes que você for brincar com ele, fique com a escova na mão e toque-a, suavemente (pode ser até com a parte de trás da escova, onde não há cerdas ou pinos), em seu animal ao longo da brincadeira, para que ele pouco a pouco vá relacionando momentos agradáveis com a escova. Após um tempo, você terá conseguido desassociar momentos desagradáveis com a escovação.

Gatos com dificuldade de fazer a higiene pessoal

Gatos gordos ou obesos, gatos doentes, machucados, idosos e debilitados podem ter dificuldade para realizar a sua higiene pessoal. Como eles não conseguem se limpar sozinhos gatos com essas características terão de receber cuidados com maior frequência.

Dando banho no gato e cuidando da higienização de olhos e orelhas

Dar banho no gato é um cuidado essencial para manter um pêlo saudável. Gatos com pêlo mais longo tem que tomar banho com maior frequência.

Alguns donos de gatos acreditam que estes animais não precisam tomar banho, pois já tomam banhos sozinhos quando estão se lambendo, o chamado “banho de gato”. Deve-se atentar que o banho de gato geralmente não é suficiente para manter o pêlo do bichano totalmente saudável.

0 61

As pessoas que tem gatos sabem que pode ser um pouco complicado se eles não sabem usar a caixa de areia, porém, assim como outros animais os gatos podem ser ensinados a fazer o que é certo. Não se desespere se o seu gato parece estar fadado a fazer as necessidades fora da caixa por que com essas dicas será fácil ensinar o bichano a usar a caixa de areia.

Para começar as pessoas chamam de caixa de areia de forma popular, mas não se trata de uma caixa qualquer, tem que ser uma caixa higiênica. Existem diversos modelos dessa caixa nas pet shops, você pode escolher aquela que acha que fará mais sucesso com o seu gato.

Uma das coisas mais importantes para essa adaptação do gato com a caixa de areia é que ele goste do tipo de caixa e também do granulado. Faça testes com o seu amigo, se possível leve-o ao pet shop para que ele te ajude a escolher. Faça sempre a limpeza da caixa de areia, porém, nada de usar produtos de limpeza que deixem cheiro. Isso espanta os gatos da caixa.

Tenha sempre uma caixa reserva e para quem tem mais de um gato em casa o ideal é disponibilizar uma caixa a mais que o número de animais, assim não haverá brigas e ninguém ficará acanhado de chegar na caixa de areia. O posicionamento das caixas de areia em casa também é bem importante, deixe num lugar firma e longe da comida e bebida dele.

0 107

Dar nome para um animal de estimação pode ser uma tarefa bem complicada, já que existe uma variedade enorme de ideias e opções. No caso dos gatos fica até um pouco mais confuso, já que eles não tem aqueles nomes básicos que todo mundo adora como acontece com os cães (quem nunca teve um Rex ou Totó?). Se está difícil encontrar um nome para o seu amiguinho, fique de olho em algumas dicas que podem te direcionar e ajudar a escolher o nome mais bacana para o seu gato:

Personalidade: Fique atento aos traços de personalidade do seu gato e tente encontrar algum nome que reflita isso. Por exemplo: se você tem uma gatinha toda calma e meiga, um nome fofo como “Kitty” pode funcionar super bem pra ela.

Homenagem: Uma boa pedida é homenagear algum artista ou pessoa da familia mesmo batizando o gato com o seu nome. Se seu gato for parecido com algum gato famoso ou mesmo tiver tiver traços de algum humano conhecido, fica ainda mais fácil encontrar um nome adequado, afinal quem nunca teve ou viu um “Frajola” ou “Garfield” na vida real?

Sonoridade e tamanho: Como comentamos no artigo de curiosidades sobre gatos, estes animais respondem melhor a nomes com sonoridade mais aguda, então se você ver que vai precisar chamar a atenção do seu gatinho com frequência, talvez um nome curto e bem agudo seja mais interessante para ele.

Se mesmo com estas dicas você não conseguiu um bom nome para o seu gatinho, confira alguns dos nomes que são bastante usados para gatos e veja se o nome perfeito para o seu bichano não se encontra entre eles.

  • Akira
  • Aldo
  • Ari
  • Bartô
  • Bingo
  • Boris
  • Calvin
  • Cecil
  • Cesar
  • Charles
  • Corisco
  • Freud
  • Leoni
  • Mark
  • Mingau
  • Mio
  • Nero
  • Nestor
  • Olavo

O nome pode ser relacionado com a personalidade e com a aparência

  • Oscar
  • Ozzie
  • Rajá
  • Romeu
  • Teco

Fêmeas

  • Alice
  • Anabel
  • Anny
  • Baby
  • Bela
  • Bia
  • Fanny
  • Isis
  • Jody
  • Lady
  • Mabel
  • Megi
  • Mel
  • Mia
  • Nikkie
  • Nina
  • Odete
  • Patty

 

0 114

O gato um animal que se incomoda com lugares sujos e mal cheirosos, além de ter o hábito de se banhar todos os dias. O banho do gato, como todos sabem, é dado por ele mesmo, através de sua língua áspera que funciona como uma bucha. Ele lambe seu corpo, suas patas, entre os dedos e os órgãos genitais, sempre com o intuito de limpeza. Ao fazer suas necessidades o gato necessita de um lugar específico, limpo e adequado, caso contrário ele pode fazer onde não deve ou mesmo sofrer constipação intestinal por não estar satisfeito com o local oferecido.

O ideal para gatos domésticos são as caixinhas de areia. Elas são recipientes baixos contendo geralmente argila em flocos. É incrível o fato de que quando elas estão à disposição para o gato, não é necessário que seja ensinado a ele onde fazer, por instinto é o local para onde ele se direciona quando deseja se aliviar.

Os gatos, como os seres humanos, apreciam utilizar um banheiro limpo e bem cuidado. Por isso, é interessante ficar de olho em algumas dicas que poderão ajudar na hora de administrar a caixa de areia do seu felino.

  • Quantidade de caixas: Não é recomendável que cada gato tenha apenas uma caixa de areia. Ao invés disso, para cada gato, você deve ter, no mínimo, duas caixas de areia.

Limpeza: a limpeza da caixa de areia deve ser feita diariamente com produtos que não deixem cheiro forte. Se a caixinha de areia estiver mal cuidada, é possível que seu gato não queira utilizá-la e poderá fazer suas necessidades em locais considerados inapropriados ou, ainda, ele pode “segurar” sua vontade de ir ao banheiro e isso é altamente prejudicial à saúde do bichano.

Local da caixa de areia: Nunca deixe a caixa de areia perto das tigelas de comida e bebida de seu gato. Como já foi dito, eles são como nós – e quem iria querer comer no banheiro? As caixas de areia não precisam ficar apenas no chão. Experimente deixá-las em algum outro lugar para descobrir onde seu gato se sente mais à vontade para fazer as suas necessidades. Apenas se lembre de deixar o banheiro do seu gatinho sobre uma superfície firme e sem acidentes.

Tipo de areia: No mercado existem inúmeros tipos e marcas de areia para gatos. Em cada caixa, coloque um tipo de areia e observe para verificar em que tipo seu gato se adapta melhor.

Com essas dicas, seu gatinho não terá problemas na hora de ir ao banheiro.

0 51

Você encontrou lindos gatos sem a sua mamãe ou a gata morreu logo após o nascimento dos filhotes? Seja lá qual foi o motivo que os deixou sozinhos no mundo, importante é você saber que é possível cuidar de gatinhos órfãos e fazê-los crescer fortes e saudáveis.

– Caso os bichanos ainda não tenham dentinhos tente encontrar alguém que tenha uma gata capaz de amamentá-los. Não sendo possível localizar, dê leite de duas em duas horas utilizando uma mamadeira ou seringa.

– Após as mamadas utilizando um pano umedecido com água morna, passe suavemente em sua barriguinha passando pelo umbigo e bumbum, é o que geralmente as gatas fazem com seus filhotes logo após eles acabarem de mamar. Não procedendo dessa forma, pode levar o gatinho a não fazer suas necessidades e até morrer.

– Para dormir eles necessitam de um cantinho quentinho, uma caixa de papelão forrada com jornal e uma bolsa de água quente embrulhada em um cobertorzinho para simular o corpo da mãe. Após cada mamada esquente a água da bolsa e deixe-o ficar junto dela o quanto quiser.

– Quando atingir seus 21 dias de vida é chegado o momento de começar a dar ração para gatos filhotes, para melhor aceitação umedeça com água morna. Se achar necessário bata no liquidificador e coloque aos poucos dentro da boquinha. E deixe sempre água fresca à disposição.

– A bandeja sanitária com o tempo eles saberão utilizá-las sozinhos. Mas se atente em comprar as que possuem bordas mais baixas para fácil acesso.

Com certeza dá trabalho, mas no futuro, quando estiverem grandes e saudáveis ficará feliz!

0 189

Você acabou de adquirir um gatinho lindo, e para que vocês tenham uma ótima relação é importante que você saiba quais as necessidades e cuidados que o seu gato vai exigir nos primeiros meses de vida.

Gatos são super seletivos, portanto escolha uma única ração, mude aos poucos de acordo com a idade e a recomendação do seu veterinário. Lembre-se filhotes deverão comer ração para filhotes até 1 ano de vida. Todo filhote precisa de cálcio para crescer forte e saudável, por isso alimente-o bem, verifique se a ração tem o mesmo na composição. O ideal é que ele tenha 3 refeições diárias enquanto filhote e 2 quando adulto.

Deixe sempre água fresca disponível para o seu gato, e troque regularmente. A liteira é bandeja a bandeja sanitária do seu gato, e deve ser deixada em um local confortável para que ele entenda que aquele é o seu banheiro. Limpe-a 1 ou  2 vezes por dia.

Compre uma coleira confortável, e arranhadores para que o animal gaste suas unhas em um local específico.

Um dos principais cuidados que se deve tomar é não deixar faltar nenhuma vacina, para que ele não venha contrair nenhuma doença, neste caso é melhor prevenir. A vacina contra raiva pode ser aplicada a partir dos quatro meses de idade. Cuidados especiais: Sarnas, pulgas e carrapatos devem ser evitados, mas ambos têm solução, seu veterinário deverá indicar o melhor remédio.

Quanto ao banho não é necessário dar banho com tanta freqüência, pois os gatos não suam e por isso não ficam mal cheirosos. No banho a água deve ser morna, e use produtos neutros, próprios para os mesmos.

Os filhotes precisam aprender desde sempre seus limites e a respeitar seu dono, por isso ensine-o desde pequeno. Repreenda-o quando errado e agrade-o quando obedecer, assim ele irá repetir a ação, eduque com firmeza, mas sempre com carinho.

Os vermes são os grandes vilões dos gatos, principalmente dos filhotes por isso faça uma vermifugação para assegurar a saúde de seu filhote. Quando adulto é importante vermifugar a cada 6 meses.

Lembre-se um animal bem cuidado terá uma vida boa e feliz, cuide e nunca o abandone ele depende de você!

Por: Priscila Gomes

2 94

A escolha do animal é muito importante, o gato vive até 20 anos, uma simples adoção é o inicio de uma longa relação.
Uma importante decisão é escolher entre o gato solto ou o gato preso, os perigos são muitos quando se deixa o gato sair, mas se optar por deixar ensine-o a voltar, mas quando estiver em casa dê todo o carinho possível para que ele se sinta aconchegante e não queira sair. 

A alimentação é um fator importante fique atento a ração adequada a idade do seu gato, os gatos mais velhos, por exemplo, necessitam de maiores quantidades proteína, divididas em menores porções de alimentação, com mais freqüência. Mas alguns ainda preferem a comida caseira a partir de ingredientes como arroz, carne e legumes. 

De modo geral os gatos são considerados animais muito limpos, contudo ainda necessitam de cuidados higiênicos regulares. 

Em geral os gatos se limpam sozinhos, mas os banhos ainda são necessários 1 vez por semana. 

Fique atento aos brinquedos do seu gato para evitar lesões. Gatos saudáveis têm olhos e pelagem brilhantes, sem secreções e sujeiras. Os dentes devem ser fortes e brancos, problemas na gengiva podem resultar na queda dos dentes. Consulte um veterinário regularmente. 

 Por: Priscila Gomes

MATERIAS DIVERSAS

0 11
Segundo pesquisa, consumo da bebida aumenta o risco feminino de desenvolver psoríase  Mulheres que bebem cerveja regularmente têm mais chances de desenvolver psoríase, uma doença...

EMAGRECER